Carregando...
História da Arte

CHRISTIANO JÚNIOR

por Bianca Fonseca.

José Christiano de Freitas Henriques Júnior, também conhecido como Christiano Jr., nascido em 1832, na Ilha das Flores, arquipélago de Açores, Portugal, foi um dos maiores fotógrafos dos anos oitocentos. Imigrou para o nordeste brasileiro por volta de 1855.

Monta um estúdio fotográfico em Maceió em 1862. Em 1863, transferiu seu ateliê para o Rio de Janeiro, onde anunciou seus serviços de “tirar retratos por qualquer sistema fotográfico onde for chamado, seja qual for a distância”. Associa-se com Fernando Antônio de Miranda no estúdio Photographia do Commercio e posteriormente a Bernardo José Pacheco na firma Christiano Jr. & Pacheco.

Nesta época destacam-se os retratos da população cativa da cidade. Passa a retratar pessoas de origem africana, escravas ou mesmo libertas, enfocando características faciais e/ou simulando suas atividades profissionais em estúdio. São retratos de busto e corpo inteiro, nos quais os vemos executando os mais difentes ofícios típicos, tais como: vendedores de frutas, cestarias, flores, barbeiros, entre outros.

Mesmo sendo feito em estúdio, o trabalho de Christiano únior em paralelo as gravuras de Debret (1768 – 1848), nos proporciona uma visão, uma remontagem do Rio de Janeiro do século XIX.

Christiano Jr. destaca anotações que acompanham suas fotografias no tocante a identificação da nação africana da qual o negro fotografado é originário.

As fotografias de Christiano Jr., “cartões de visita”, eram vendidas tanto em seu estúdio no Rio de Janeiro quanto nas principais livrarias da cidade, e integravam uma série de “tipos de preto”. Nesse caso, o corpo do escravo é algo a ser comprado e colecionado por sua peculiaridade, diferença e estranheza, como um bem de consumo turístico que encontraria seu lar no álbum privado.

Christiano Junior. Escrava de ganho vendedora (1864-1865)